Na última parte do mês especial Slipknot, a Nação da Música viajará um pouco através das produções visuais que colaboraram para tornar a banda de Iowa ainda mais popular no cenário mundial.

O primeiro clipe lançado pelo Slipknot foi para a música “Spit It Out”, single de estreia do grupo em 1999. O registrou contou com direção de Thomas Mignone que, na época, era conhecido por seus trabalhos com diversas bandas que explodiram junto ao grupo, como Mudvayne e System Of a Down. O vídeo conta com uma inspiração no filme “O Iluminado”. Além de “Spit It Out”, o álbum autointitulado também ganhou vídeos para “Wait And Bleed”, que também teve uma versão em animação, “Surfacing”, que conta com um vídeo de performance. A faixa “Scissors” também conta com um clipe divulgado em 2000.

Com o lançamento de “Iowa”, em 2001, o Slipknot voltou a apresentar o seu capricho e dedicação aos videoclipes, sempre explorando o visual característico do grupo e toda a atmosfera sombria que ele permite explorar. Tal aspecto fica visível em “Left Behind”, primeiro single do álbum e um dos mais marcantes clipes da banda. O álbum também teve como música de trabalho “My Plague”, canção que serviu de trilha para o filme “Resident Evil” e ganhou um vídeo com imagens da película que é uma adaptação da famosa franquia de videogames.

Em 2004, após um hiato, o Slipknot retornou aos holofotes com “Vol. 3: (The Subliminal Verses)” e, com ele, uma parceria de muito sucesso com o diretor Tony Petrossian . Petrossian começou sua incursão no mundo dos clipes justamente com a banda, ao criar “Duality”. Depois do vídeo, lançado em 2004, ele trabalhou com artistas do quilate de Avenged Sevenfold, Rise Against e Three Days Grace. Além de “Duality”, Tony foi responsável por “Vermillion”, “Vermillion Pt. 2” e “Before I Forget”. Em resumo, todos os singles do terceiro disco do Slipknot.

A ideia de formar uma parceria fixa com algum diretor, que deu muito certo em 2004, voltou a ser repetida em 2008, com a chegada do disco “All Hope Is Gone”. Desta vez a banda chamou Paul Brown, diretor e designer gráfico, para criar as produções visuais do Slipknot em seu novo lançamento. Paul, assim como Tony Petrossian, contou com o auxílio na direção de Shawn Crahan, percussionista da banda. Com exceção de “Psychosocial”, a dupla foi responsável pelos demais singles do álbum, como “Dead Memories”, “Sulfur” e o artístico “Snuff”.

Shawn Crahan, que já havia assinado sozinho a direção de alguns vídeos ao vivo do Slipknot, tomou as rédeas das produções de vídeo do grupo em 2014, com a chegada do disco “.5: The Grey Chapter”. Crahan, que além dos vídeos de sua própria banda também dirige clipes para outros artistas, foi responsável pela direção em “The Negative One” e “The Devil In I”.

- PUBLICIDADE -

Não deixe de curtir nossa página no Facebook, e acompanhar as novidades do mundo da música, do Slipknot e da Nação da Música!