the story so farPara agitar o feriado e a sua sexta-feira, trago The Story So Far, uma banda californiana de pop-punk que desmente todo o papo do “o pop-punk morreu” e tem marcado presença na cena estadunidense -e já passou da hora de marcar a brasileira também. Eles já lançaram dois álbuns e alguns EPs, mas eu resolvi escrever sobre o disco que eu mais ouço atualmente, o “What You Don’t See”.

Tal lançamento aconteceu em 2013 pela Pure Noise Records, e foi extremamente bem recebido pela crítica e os fãs. Tanto é que logo na estreia o disco alcançou a 46ª posição no Billboard 200 e foi o nono melhor álbum daquele ano, segundo a RockSound na lista “Os 50 Melhores Álbuns de 2013”.

Melhor Música: “Empty Space”, “All Wrong” e “The Glass”.

Ponto Forte: Se compararmos esse lançamento com o anterior, “Under Soil and Dirt” (2011), o crescimento instrumental, das letras e a produção em si é muito notável. O pop-punk com influências do hardcore transmite muita energia aos ouvintes e o clássico mosh pit presente na cena vira obrigatoriedade.

Dizem que pior do que a pressão do disco de estreia, é a pressão do segundo lançamento, já que esse decide ou não se a banda continuará ou será esquecida. Contudo, TSSF não demonstrou medo algum com a divulgação do “What You Don’t See”. Ficou claro que eles fizeram o queriam e gostam.

Ponto Fraco: Talvez não seja um ponto fraco do disco, mas o “What You Don’t See” só agrada quem realmente é fã do gênero.

- PUBLICIDADE -

Não deixe de curtir a nossa página no Facebook, e acompanhar as novidades da Nação da Música. Confira “What You Don’t See”: