Filhos do John Kongos, a banda Kongos é inspirada por culturas diferentes na sua sonoridade, com um mix de rock com e música popular da África do Sul. O grupo formado pelos irmãos Johnny, Jesse, Daniel e Dylan no baixo, se apresentou na última edição do Lollapalooza aqui no Brasil, e nós da Nação da Música conversamos mais uma vez com eles.

A banda comentou sobre sua experiência em festivais, o relacionamento entre irmãos e novidades sobre o novo material. Confira a entrevista na íntegra feita por Andressa Oliveira e Gabriel Simas.

1 – Festivais são bem diferentes de shows solo. O que vocês mais gostam em eventos assim?

R: Nós gostamos de nos apresentar tantos em shows comuns quanto em festivais. Aqui, acredito que preferimos mais festivais porque as pessoas estão mais acostumadas (familiarizadas), e tem muitas pessoas que vão para lá e não nos conhece ainda, então é bem legal essa oportunidade de mostrar o nosso som. Estamos muito felizes de fazer show aqui.

2 – Em pouco tempo vocês estarão se apresentando no Lollapalooza Brasil. Como vocês se preparam para shows como esse?

R: Nós finalizamos o nosso tour na América do Norte, tivemos meio dia para descansar e pegamos um avião para Colômbia. Acredito que a preparação é o fato de que não paramos de tocar por vários anos seguidos, então estamos sempre na estrada.

- PUBLICIDADE -

3 –Vocês primeiramente lançaram o álbum “Lunatic” de forma independente. Como foi que vocês assinaram com a Epic Records?

R: É uma longa história… Nós finalizamos o álbum no final de 2011 e lançamos na África do Sul; e foi muito, muito bem lá. Fizemos turnê, tivemos singles tocando nas rádios e tudo mais. Então, resolvemos promover na América e foi um processo mais devagar por uns 18 meses e só então, uma ou duas emissoras de rádio começaram a tocar “Come With Me Now” e foi quase uma ‘explosão’ e então assinamos o contrato. Foi uma longa estrada para alcançarmos onde estamos hoje.

4 – Como é estar em uma banda formada por irmãos? É complicado lidar com essa relação de trabalho e família?

 É mais fácil para nós. Eu consigo imaginar que se fosse de outra forma, certamente seria difícil. Como nós estamos na mesma direção, isso torna mais simples.  Se não fôssemos irmãos, estaríamos em outras situações, interessados em projetos diferentes e coisas assim. Na verdade, essas nossas vontades em comum é o que torna tudo mais fácil. Nós temos mais três irmãos: um médico, um advogado e um agente, isso torna o negócio bem simples.

- PUBLICIDADE -

5 – Recentemente vocês disseram que já tem uns dois álbuns escritos. Quando que estarão entrando em estúdio novamente?

R: É, nós temos muitas músicas escritas mas para gravar requer muito tempo, então, nós vamos embora daqui no domingo e o nosso plano é ir direto para o estúdio e começar a trabalhar nisso e mais para frente, ainda neste ano, lançar algo novo.

6 – Como é o processo de composição/gravação de vocês?

R: Bom, nós escrevemos individualmente e então finalizamos o som ou a demo, nós produzimos todos juntos e no estúdio.

7 – E como esse novo material é, comparado ao último álbum?

- PUBLICIDADE -

R: É diferente, se você ouvir somente o próximo, não fará sentido, será um som novo. Nós queremos fazer algo diferente, não queremos repetir as mesmas coisas.

8 – Alguma mensagem para os fãs brasileiros?

R: E aí pessoal, como vão? Nós somos o Kongos e estamos muito animados e não vemos a hora para tocar aqui. É a nossa primeira vez no Brasil, nossa primeira vez em São Paulo e nos apresentar no Lollapalooza pela primeira vez será bem especial. Então, vemos vocês amanhã ou se vocês assistirem isso depois do nosso show, esperamos que vocês tenham curtido!

Não deixe de curtir nossa página no Facebook para seguir atualizado com todas as novidades da Nação da Música e do Kongos.