Entrevista: Natiruts fala sobre novo disco “Índigo Cristal”

Natiruts
Foto:: Beto Gatti

Este mês de agosto foi de novidades para o Natiruts. Eles lançaram o novo álbum de estúdio intitulado de “Índigo Cristal” e ainda confirmaram shows de lançamento para comemorar o trabalho com os fãs.

Com uma turnê que passou por diversos países da América Latina, os caras agora se preparam para o primeiro show da turnê em território brasileiro em Belo Horizonte na próxima quarta-feira (30) e em São Paulo no dia 21 de outubro.

A Nação da Música conversou com Alexandre Carlo sobre o disco, inspirações e a carreira musical consolidada do Natiruts.

Entrevista feita por Maria Victoria Pera Mazza.

————————————————————————————————————— Leia a íntegra

Vocês anunciaram dois shows de lançamento para o disco “Índigo Cristal”. O que os fãs podem esperar desses shows?
Alexandre: Os fãs da banda esperavam muito por um trabalho com músicas inéditas. Por isso, tocaremos todas as canções do novo trabalho e, claro, os clássicos e lados B.

Aliás, poderia falar um pouco mais sobre esse álbum? Como foi o processo de produção, a escolha das músicas…
Alexandre: Estreamos nosso estúdio próprio em Brasília com a gravação desse álbum. Tivemos tempo para pesquisar timbres, arranjos, instrumentos com muita calma. Isso influenciou diretamente no resultado final.

O último trabalho de inéditas da banda saiu em 2009… O que esse tempo entre um disco e outro refletiu ou influenciou na hora de produzir “Índigo Cristal”?
Alexandre: O tempo para pensar, vivenciar novas experiências, estudar novas técnicas, assimilar novas tendências, tudo isso foi feito nesses oito anos e se se refletiu na linguagem do disco.

Já são mais de 20 anos na estrada e nem sempre é algo fácil se manter tão consolidado na cena como vocês são. Quais dicas dariam para uma banda que está no começo da carreira?
Alexandre: A primeira é ser autêntico. Os modismos sempre vão existir, mas para os grupos que têm uma linha própria e uma proposta sincera com seu gosto musical sem dúvida será muito mais feliz. E sucesso é ser feliz.

Uma boa parte das músicas do grupo tem uma pegada mais romântica e com letras que a gente pode facilmente relacionar a pessoas que gostamos ou sentimos carinho. É esse tipo de sentimento que vocês gostam de passar com seus discos?
Alexandre: Sem dúvida. O que as pessoas mais procuram no Natiruts são aquelas melodias e letras que acalmam e ao mesmo tempo produzem uma mudança na vibração mental e corporal para o lado positivo do universo.

Poderiam deixar um recado para os fãs que curtem Nação da Música?
Alexandre: Sim, #FORATEMER #FICAAMAZONIA.

Deixe seu comentário no final da página, marque aquele seu amigo que também curte o Natiruts, e acompanhe a Nação da Música nas Redes Sociais: Facebook, Twitter, Spotify e Instagram.

COMPARTILHAR
Formada em jornalismo, considera a música uma de suas melhores amigas e poderia facilmente viver em todos os festivais. Bandas preferidas? McFLY e Queens of the Stone Age.

DEIXE SEU COMENTÁRIO!