Katy Perry: o primeiro single de cada álbum da cantora

Está na hora de mais um artista receber sua review na coluna “o primeiro single de cada álbum”. Aqui nós procuramos analisar se o single de estreia dos discos de determinado artista descrevem bem o conjunto da obra. Hoje vamos falar sobre a Katy Perry, que está se preparando para lançar seu novo álbum intitulado “Witness” dia 09 de junho. Vamos lá?


One of the Boys (2008)

Apesar de Katy já ter lançado um álbum gospel intitulado “Katy Hudson”, vamos considerar o primeiro álbum como sendo o “One of the Boys”, que é quando a artista começa a utilizar o nome Katy Perry. O trabalho é apresentado pela faixa “I Kissed a Girl”, um pop chiclete irreverente que traz à tona uma letra com duplo sentido e faz nascer uma cantora nova no cenário musical. Essa Katy provocativa e divertida do primeiro single aparece durante todo o álbum dando espaço, vez ou outra, para uma Katy mais introspectiva e reflexiva, mas todo CD é assim, não é mesmo? Portanto, podemos dizer que o single reflete bem o trabalho da cantora, que depois trabalhou nas faixas “Hot n’ Cold”, “Thinking of You” e “Waking Up In Vegas”. Foi logo no primeiro CD que Katy começou a construir uma videografia impecável e invejável para qualquer artista mainstream.


Teenage Dream (2010)

Dois anos após escrever seu nome na história da música, Katy retorna aos holofotes com um dos álbuns mais bem sucedidos nos charts na história da música. Abrindo os trabalhos, temos “California Gurls”, uma parceria com o rapper Snoop Dogg que tocou pelo mundo até que soubéssemos suas batidas de trás pra frente. “Teenage Dream” foi feito pra ser um álbum divertido e, recheado de hits, conseguiu cumprir seu propósito ao ser muito bem apresentado pelo primeiro single. Os hits que seguiram foram “Teenage Dream”, “Firework”, “E.T.”, “Last Friday Night (T.G.I.F.)” e “The One That Got Away”. Todos os singles do álbum alcançaram o #1 na Billboard HOT 100, feito que só Michael Jackson havia feito até então com seu álbum “Bad”. O trabalho foi relançado um ano e meio após sua estreia com o nome de “Teenage Dream: The Complete Confection”, trazendo os singles “Part of Me”, que também atingiu o topo da Billboard, e “Wide Awake” que alcançou a segunda colocação nos charts. Nesta era, Katy se afirmou como uma grande potência do pop embasada pelas superproduções de seus clipes e seus trabalhos conceituais cheios de identidade visual.


Prism (2013)

A era “Prism” chegou ao público apresentada pelo single “Roar”, uma poderosa faixa pop de incentivo, daquelas que elevam a auto estima de qualquer ser humano. Como a maioria dos artistas que fazem seus trabalhos como reflexos de suas vidas pessoais, Katy construiu o álbum em torno de um término de relacionamento com seu ex-marido Russell Brand. “Roar” é uma música de apoio e suporte ao ser humano e o álbum poderia ser cheio de faixas que falam de superação, auto controle e cura, mas Katy preferiu mudar a direção do no processo criativo do trabalho e fez algo mais animado, deixando a luz entrar em sua vida e dissipar a escuridão, por isso o título “Prism”. As faixas que seguem como single foram “Unconditionally”, “Dark Horse”, “Birthday” e “This Is How We Do”. Embora elas não sigam a temática de “Roar”, são faixas de celebração de diversas partes da vida, então podemos dizer que há uma conexão entre elas.


Witness (2017)

Por fim, temos o novo álbum da cantora. “Witness” ainda não foi lançado, mas Katy já nos deu três faixas para que tenhamos uma noção do rumo que o trabalho levará. O primeiro single, “Chained to the Rhythm”, é uma faixa com teor político por trás de sua concepção. Katy ficou 4 anos sem lançar álbum e acabou se envolvendo bastante nas eleições presidenciais dos Estados Unidos ao apoiar a candidatura de Hillary Clinton, que acabou sendo derrotada por Donald Trump, atual presidente dos EUA. Katy revelou que essa aproximação política fez nascer nela um desejo de usar melhor sua voz e que é esse o conceito do novo álbum. O segundo single do álbum, “Bon Appétit”, é uma faixa menos compromissada do que o primeiro single e tem um teor sexual. A cantora revelou que a faixa é uma espécie de liberação sexual para ela, de forma que ela se sinta confortável de falar sobre o assunto sem se sentir julgada. Nesta sexta-feira (19), Katy também liberou uma nova faixa do álbum junto com a pré-venda do mesmo. Intitulada “Swish Swish”, a faixa tem parceria de Nicki Minaj e está sendo considerada como uma resposta à “Bad Blood” de Taylor Swift, faixa que teria sido inscrita com inspiração em Katy e na relação conturbada das duas. Agora é esperar pra ver que rumo “Witness” irá tomar.

Deixe seu comentário no final da página, marque aquele seu amigo que também curte Katy Perry, e acompanhe a Nação da Música nas Redes Sociais: Facebook, Twitter, Spotify e Instagram.

COMPARTILHAR
Guil Anacleto
Arquiteto e Urbanista por opção, cantor e amante de música por vocação. Uniu seu gosto por música e por escrita quando viu no Nação da Música a oportunidade de fundir ambos. Não fica sem um bom livro, um celular e um fone de ouvido. Amante de séries, televisão, reality shows, gastronomia, viagens e tenta sempre usar isso a seu favor para estar reunido com família e amigos. Uma grande metamorfose ambulante reunida em um coração sonhador com um toque de humor indispensável.

DEIXE SEU COMENTÁRIO!