Francisco El Hombre
Foto: Jeff

“SOLTASBRUXA” foi lançado em setembro de 2016 e marcou a estreia do Francisco, el Hombre no cenário musical. Sem medo de levantar bandeiras e de mostrar seu ponto de visto político, social e pessoal, as músicas tratam o feminismo e a crise econômica e política.

Pouco mais de dois anos depois, o reconhecimento e a consolidação do grupo como uma das bandas brasileiras mais originais que temos atualmente, eles retornam com “RASGACABEZA”. Com data de lançamento marcada para o dia 15 de março, a nova produção ainda não está disponível, mas vamos aproveitar um pouquinho para fazer um balanço do último disco.

A canção título inicia os trabalhos e funciona bem como uma introdução ao que está por vir. “Soltasbruxa” termina puxando a canção seguinte e possui pouco mais de um minuto e meio.

“Calor da Rua” é cheia de metáforas, sendo logo de início uma das canções mais fortes do disco. É como se a faixa fosse comandada pela voz de Juliana Strassacapa e seguida pelo complemento feito pelos demais integrantes. Além de tudo, o refrão é repetitivo e daqueles que não saem da cabeça.

“Bolso Nada” é a mais direta das críticas, que conta com a participação de Liniker E Os Caramelows para encrementar o elenco. Como o nome sugere (ou deixa bem claro), é uma oposição ao na época deputado, hoje presidente, Jair Bolsonaro. O refrão é composto por protesto com um tom irônico: “esse cara escroto/mucho escroto”.

A Francisco, el Hombre é formada por membros 2 membros mexicanos e 3 brasileiros, o que justifica o constante ar latino do trabalho. Em “Primavera” temos versos tanto em português quanto em espanhol, e a mistura funciona muito bem, refletindo de maneira genuína o que é proposto.

- PUBLICIDADE -

“Não Vou Descansar” também é uma daquelas bem curtinhas e é apresenta quase que de maneira acústica, onde a voz dos integrantes é acompanhada por palmas e um leve instrumental, tudo bem intimista.

“Triste Louca ou Má” é o maior hit do grupo e que inclusive já recebeu uma indicação ao Grammy Latino, aparece como um canto de empoderamento às mulheres. Sensível, íntima e bela em todos os sentidos.

“…” é mais uma das faixas que possuem apenas alguns segundos e só começa a ser cantada lá no finzinho. Ela conta com a participação de Qowasi e é tão delicada quanto sua letra.

Sabe aquela música que automaticamente te lembra uma marchinha de Carnaval e já te coloca no clima? “Tá Com Dólar, Tá Com Deus” é a própria, e apesar do ritmo divertido, os integrantes de maneira inteligentíssima abordam a desigualdade social e destaca a dependência que temos quando se trata de dinheiro.

- PUBLICIDADE -

Não fosse pelos trechos em espanhol, “Como Una Flor” poderia ser facilmente confundida com alguma outra canção já presente no disco. Seu ponto positivo é que novamente o grupo mostra como a mistura de ritmos e línguas pode funcionar se trabalhado da maneira certa.

“Sincero” é a faixa mais “gringa” presente no disco, sendo a primeira cantada inteiramente em espanhol e abusando o quanto pode das influências mexicanas, possuindo até mesmo uma pitada de drama.

“Lobo Lobo Lobo!” tem apenas 25 segundos e conta apenas com o trecho “Que lástima, gritou lobo e ninguém ouviu”, cantada quase como um sussurro, tão sombria quanto parece.

“Axé e Auê Sem Fuzuê” soa como uma daquelas músicas sem grandes pretensões, com letra simples, instrumental tranquilo e vocais no ponto.

Sempre trabalhando bem suas analogias, a Francisco, el Hombre encerra o disco com “Muro em Branco”, fechando o ciclo de protestos e críticas bem feitas, eles cantam “Eu não nasci pra ser muro em branco não”.

- PUBLICIDADE -

“SOLTASBRUXA” coloca a Francisco, el Hombre num patamar interessante e que merece ser observado. Com um disco de estreia tão intenso e direto, o grupo surpreende e cria expectativa sobre o que está por vir no futuro.

Deixe seu comentário no final dessa publicação, marque seus amigos que também curtem Francisco, el Hombre, acompanhe a nossa agenda de shows e a Nação da Música através do Twitter, Facebook, Instagram e Spotify. Muito obrigado pela visita e por ler essa matéria!