Trilha Sonora: 282 músicas das quatro temporadas de “This Is Us”

This Is Us
Créditos: Divulgação/IMDB.
- PUBLICIDADE -
Maneva
- PUBLICIDADE -
Maneva

Em setembro de 2016, estreou na televisão norte-americana a série “This Is Us”, com a proposta de mostrar a relação da família Pearson e todas as conexões geradas a partir desse contato. O drama é estrelado por Milo Ventimiglia (“Gilmore Girls”), Mandy Moore (“Um Amor Para Recordar”), Justin Hartley (“Smallville”), Chrissy Metz (“Superação: O Milagre da Fé”) e Sterling K. Brown (“Pantera Negra”).

- PUBLICIDADE -

A produção foi criada pelo roteirista Dan Fogelman, que também trabalhou no filme “Amor a Toda Prova”. Os episódios da primeira à quarta temporada estão disponíveis no Amazon Prime Video, enquanto os capítulos da quinta temporada estão sendo exibidos atualmente pelo Fox Premium que, em breve, mudará de nome para Star Premium.

- PUBLICIDADE -

Siddhartha Khosla (“Runaways”), que também é vocalista da banda Goldspot, é o responsável pela trilha original da produção. Como se trata de uma narrativa que passeia por diversas décadas, ouvimos composições antigas de artistas como Joni Mitchell, Carole King, Dire Straits, e outros mais recentes como Novo Amor, The White Buffalo e Father John Misty. Admito que, como fã da história, foi difícil escolher apenas algumas obras sobre as quais falar.

- PUBLICIDADE -

Vale mencionar que nem todas as versões que tocam na série estão disponíveis no Spotify então, tomei a liberdade de colocar as releituras mais populares, como são os casos de “You Are My Sunshine”, do Johnny Cash e “Nothing Compares 2 U” na voz de Sinéad O’Connor. Como habitual, depois do rodapé você confere tanto o trailer quanto a playlist completa que montamos para você!

- PUBLICIDADE -
Maneva
- PUBLICIDADE -
Maneva

Vou me limitar a dizer que “Moonshadow” é a faixa mais importante dessa narrativa, na minha opinião e sem dar spoilers. Ela foi divulgada em 1971 pelo músico britânico Cat Stevens, atualmente conhecido como Yusuf Islam. Durante uma participação no talk-show “The Chris Isaak Hour” em 2009, Stevens revelou que a inspiração para a composição aconteceu durante as férias que passou na Espanha, onde viu sua sombra refletida pela lua pela primeira vez em um local completamente aberto e sem interferência de milhares de luzes da rua. O cover da atriz Mandy Moore também aparece na narrativa e foi gravado originalmente em 2003, no álbum “Coverage”.

- PUBLICIDADE -

“Romeo and Juliet” integra o disco “Making Movies”, do Dire Straits, tendo sido escrita pelo guitarrista e vocalista da banda, Mark Knofler. Embora carregue todo o drama e tragédia da história da qual extraiu o nome, a composição dá um senso de esperança ao ouvinte no final. The Killers, Indigo Girls e Widowspeak são alguns dos artistas que já fizeram suas próprias releituras dessa história de amor.

- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -

Assim como no mundo fonográfico real, no fictício Joni Mitchell também é uma artista marcante aqui. A faixa “California”, tocada durante “Lights And Shadowns”, décimo episódio da quarta temporada, faz parte de “Blue” (1971). Este disco é um dos mais premiados da artista, tendo entrado para a lista dos “200 álbuns definitivos no Rock and Roll Hall of Fame”. A canção “Both Sides, Now”, presente em “Clouds” (1969) também aparece nessa mesma temporada, no capítulo homônimo ao compilado previamente citado.

“So Long, Marianne” é uma das minhas faixas favoritas do Leonard Cohen, ela aparece no mesmo capítulo ao qual dá nome, o nono da (também) quarta parte dessa história. Cohen compôs a música após o término do relacionamento com uma das suas musas, Marianne Ihlen. De acordo com o Genius, ele sempre fazia uma introdução nas apresentações ao vivo e em uma ocasião em 1974, ele declarou que essa é uma composição “sobre perdão”.

“If You Need To, Keep Time On Me” é a sexta música do terceiro álbum de estúdio da banda Fleet Foxes, intitulado “Crack-Up” (2017). Nela, letra e melodia se confundem no sentido de reflexão e introspecção, abordando um relacionamento no qual apesar do fim, o narrador mantém consigo o senso de companheirismo e declara que vai estar presente caso o outro precise de ajuda.

- PUBLICIDADE -

A sensível “To Build a Home”, do grupo The Cinematic Orchestra, abre o disco “Ma Fleur” (2007). Os significados mais comuns para “construção de um lar” são no sentido físico e material, a partir da edificação de uma casa, mas também pode representar o laço criado por duas pessoas num relacionamento… O peso de “To Build” se dá com a evidência de que nem sempre as coisas dão certo, às vezes elas simplesmente “viram poeira”.

Muito obrigado pela sua visita e por ler essa matéria! Compartilhe com seus amigos e pessoas que conheça que também curtam Trilha Sonora, e acompanhe a Nação da Música através do Twitter, Google Notícias, Instagram, YouTube, Facebook e Spotify. Você também pode receber nossas atualizações diárias através do email - cadastre-se. Caso encontre algum erro de digitação ou informação, por favor nos avise clicando aqui.

Torcemos para que tudo esteja bem com você e toda a sua família. Não se esqueça de lavar bem as mãos e se possível #FicaEmCasa, mas se precisar sair não se esqueça de usar a máscara! Cuide-se.

- PUBLICIDADE -


Caso este player não carregue, por favor, tente acessa-lo clicando aqui.

- PUBLICIDADE -