Taís Alvarenga
Foto: Rael Barja

A pianista e cantora Tais Alvarenga, em seu álbum de estreia “Coração Só”, apresenta uma narrativa completa de amor, em um trabalho que ela descreve como autobiográfico. E o sentimento é retratado não apenas com o lado romântico, mas com suas desilusões, frustrações e toda intensidade que também estão presentes.

“Esse Lugar” abre o disco com um piano leve que dura pouco tempo e dá lugar à potência vocal e à bateria, que reforçam a mensagem da letra sobre o amor que ficou para trás. “Vai! Pode caminhar/Por onde eu te perdi/Quanto eu esperei/Pode até sonhar/Faça gosto de gostar/Que esse lugar não é mais teu”

A bateria é feita por Pupillo, da Nação Zumbi, que também é o produtor do disco. A artista falou sobre essa parceria com o Nação da Música, veja a entrevista aqui. Falando sobre um término e sua dor, “Qualquer Pedaço” vem na sequência. A música também inicia lentamente e acelera conforme o refrão se aproxima.

Em “Duna”, composta por Lula Queiroga e Lucky Luciano, a artista utiliza das mudanças na natureza para demonstrar as variantes que temos nas relações durante a vida. E, de maneira muito bem-feita, as metáforas com “as areias que se mexem”, “os ventos que trazem”, “a onda que obedece a lua”, mostram isso.

Na busca de respostas sobre a relação que acabou, “Você Se Enganou” traz toda a angústia de um término. A cantora levanta as questões no refrão “ Você acha mesmo/Que eu sou tudo isso?/E o que fomos nós?/Fomos só um vício?/Você acha mesmo/Que eu não sou capaz/De ser para alguém/O que lhe satisfaz?”

Continuando as questões que aparecem após um término, entra a canção “Ainda Penso”, em que a artista mostra que está mal e pensa se o outro está melhor que ela e o que pessoa com quem ela está agora faz para deixa-la feliz.

- PUBLICIDADE -

Em “Pode Matar”, o piano volta a ganhar destaque numa das canções mais tristes e, ao mesmo tempo, intensas do disco. “Sai de Casa” continua com uma levada lenta e fala de solidão e da procura por racionalidade em vez da emoção.

“Tudo” chega e acelera a batida. Aqui a cantora mostra um sentimento de extrema paixão que beira a dependência. “Nosso amor é tudo/Mais que tudo/Se eu tenho tudo/É só porque eu tenho você”. A faixa-título também é mais ritmada, num estilo que lembra um pouco de soul, e é a única que traz versos em inglês.

Terminando de maneira esperançosa e com uma mensagem positiva, “Outro Sol” é um destaque também dentro álbum. “Mas vai ter um outro sol para mim” é o verso que conclui o disco. É um final realista e que mostra uma tentativa de superação.

Com 10 faixas e com pouco menos de 40 minutos, “Coração Só” é consistente e com uma combinação de ritmos que deixa o álbum muito atraente. As letras todas intensas e sinceras são capazes de fazer a gente sentir as emoções descritas pela cantora em suas composições.

- PUBLICIDADE -
Deixe seu comentário no final da página, marque aquele seu amigo que também curte Tais Alvarenga, e acompanhe a Nação da Música nas Redes Sociais: Facebook, Twitter, Spotify e Instagram.