Vitor Kley
Foto: Divulgação / Facebook.

No meio de outubro, Vitor Kley lançou seu álbum “Adrenalizou” nas plataformas digitais, trazendo algumas canções já lançadas anteriormente em seu primeiro EP e outras inéditas também.

Gravado pela Midas Music e produzido por Rick Bonadio, o disco conta com 14 faixas, entre elas duas parcerias e um remix eletrônico.

O novo trabalho inicia com o “O Sol”. A faixa é o maior sucesso do cantor até o momento e não é por menos. Ela tem uma boa base de violão e seus versos são trabalhados de maneira que o ritmo cresce até a chegada do ótimo refrão que dificilmente sai da cabeça depois que se ouve pela primeira vez.

A primeira colaboração do álbum é “Morena” que conta com Bruno Martini. Ela é o atual single do cantor e também é muito boa e cativante. Seu vocal é, no geral, mais rápido que a anterior, no entanto o refrão é um pouco mais lento. Sua letra é focada no retrato de uma mulher e suas lembranças com ela. Sem dúvidas, é uma das melhores do disco.

A terceira é a faixa-título e ela já é um pouco mais pop do que as outras, com mais toques eletrônicos e menos presença de violão. Ela é interessante também pelo artista ter conseguido juntar diversos elementos distintos na letra, desde montanha-russa até olho de tandera.

Marambaia” retorna com o estilo principal do álbum. Ela traz novamente a base de violão ao fundo, mas com um toque que se sobressai principalmente após o refrão, o que deixa a canção mais diferente. A música foi uma das primeiras escritas por Vitor Kley e leva o nome da praia onde aprendeu a surfar, como ele contou durante entrevista à Nação da Música.

- PUBLICIDADE -

Já “Como Se Fosse Ontem” é mais lenta e sem grande alteração de seu ritmo. Sua letra segue a mesma receita de sucesso, misturando tons românticos com mensagens de valorizar e aproveitar a vida.

Bem Te Vi” vem com a excelente parceria com Kell Smith. O interessante dela é que a cantora pode usar tanto a sua melodia mais leve, dando um bom contraste com Vitor Kley, quanto seus versos mais fortes de rap. Ela é mais um grande acerto deste álbum.

Farol” volta a ser bem mais devagar com uma boa batida de violão ao fundo. O destaque nela é por volta de um minuto, aproximadamente, que há uma leve pausa e ele retorna um pouco mais forte. Seu refrão também é muito bom e o vocal é muito bem trabalhado, principalmente para o final da canção.

Onde Você Está” lembra bem o estilo dos versos de “Morena”, que tem um verso mais corrido, a diferença aqui é que o refrão é mais animado do que a outra.

- PUBLICIDADE -

Mudando um pouco o estilo da letra, “Armas a Nosso Favor”, ela deixa um pouco de lado o tom romântico e traz uma mistura de crítica social e protesto. Ele canta pedindo por fim de morte, guerra, roubo e para usar armas que não disparem fogo, apenas alegria. Pela mudança, ela é um destaque muito positivo.

Flor” é mais uma música com ritmo bem leve e uma boa mensagem de amor. Nesta ele trabalha muito bem metáforas e comparações, que deixam a canção mais interessante. Com dois minutos, aproximadamente, há um breve destaque para a guitarra também que não é tão presente nas outras.

Em “Dois Amores” a letra já é sobre reencontrar uma pessoa, ainda mantendo o foco em relacionamentos. Ela também é bem lenta e seu refrão repete diversas vezes, então a música não tem grandes alterações de ritmo.

A Noite Cai” retoma com um ritmo um pouco mais agitado e fala da saudade que ele sente de alguém. Ela é muito bonita, retratando bem esse sentimento e trazendo a esperança de reencontrar a pessoa que ele sente tanto.

Na sequência, aparecem duas versões de músicas já apresentadas anteriormente. Primeiro, um remix eletrônico de “O Sol” feito por Apollo 55, que ficou bem mais animada e dançante do que a primeira, ampliando também o público que consome as canções do cantor.

- PUBLICIDADE -

E, finalizando o álbum, há uma versão acústica de “Morena”. Ela diminui o ritmo da original, mas a mudança não é tão drástica quanto a anterior, por exemplo, mas ficou interessante também.

“Adrenalizou” é um trabalho muito bom, apresentando faixas bem interessantes e aproveita um momento da música brasileira que dá destaque para este ritmo. Apesar do estilo não mudar muito, ele é muito tranquilo de ouvir e nem chega a ficar cansativo. Aproveitando o sucesso de “O Sol”, este álbum tem tudo para concretizar a carreira do cantor.

Deixe seu comentário no final da página, marque aquele seu amigo que também curte Vitor Kley, e acompanhe a Nação da Música nas Redes Sociais: Facebook, Twitter, Spotify e Instagram.