2017 foi um ano triste para os amantes do rock. O co-fundador do AC/DC e legendário guitarrista Malcolm Young foi um dos grandes nomes que partiram. O músico faleceu aos 64 anos no dia 18 de novembro após um longo período lidando com demência, mal que o afastou da banda em 2014. Além de deixar dois filhos, três netos e uma legião de fãs, Malcolm Young também deixou sua marca na história do rock.

Confira momentos da trajetória do artista:

A estreia na TV australiana

Na companhia de Bon Scott de peruca loira e trancinhas e Angus vestindo o que viria a ser seu legendário uniforme escolar, Malcolm apresentou pela primeira vez à Austrália o poder da sua guitarra com acordes rítmicos neste cover do tradicional blues “Baby Please Don’t Go”.

É um longo caminho até o topo

Nada melhor para matar a saudade do que admirar o inconfundível riff do músico na companhia da bateria de Phil Rudd no início de “It’s A Long Way To The Top (If You Want to Rock ‘n’ Roll)”. Um dos grandes hinos do AC/DC, a música apareceu pela primeira vez no álbum de estreia do grupo, “T.N.T.”, em 1975 e narra os problemas que uma banda passa até chegar ao topo da indústria do rock.

- PUBLICIDADE -

 Back In Black

Uma das músicas mais memoráveis do gênero, “Back In Black” deu nome ao sétimo álbum de estúdio do AC/DC, lançado em 1980 para se tornar o disco de rock mais vendido na história. Este foi o primeiro lançamento com a presença da voz rouca de Brian Johnson, que se tornou vocalista da banda após a morte de Bon Scott no mesmo ano. A habilidade de Malcolm Young é mostrada pelos icônicos acordes E5 D5 A5 desta faixa, que viriam a ser repetidos por todo mundo que decide aprender a tocar guitarra em algum momento da vida.

 Rock In Rio 85

O quinteto australiano marcou presença em duas noites do primeiro Rock In Rio da história. Em 15 e 19 de janeiro de 1985, o AC/DC se apresentou na Cidade do Rock para uma plateia de mais de 280 mil pessoas que também puderam presenciar Barão Vermelho, Scorpions, Whitesnake e Ozzy Osbourne.

- PUBLICIDADE -

 Rock & Roll Hall Of Fame

Após ter sido recusado algumas vezes, o AC/DC finalmente foi incluído ao Rock & Roll Hall of Fame em 2003. Na cerimônia, a banda foi apresentada por ninguém menos que Steven Tyler, do Aerosmith. Apesar de ser considerada uma honra ser nominado para a posição, Malcolm disse em uma entrevista para a Billboard que “por um lado é uma coisa boa, mas não é uma honra para nós”. O músico também reclamou da falta de verdadeiros nomes do rock ’n’ roll homenageados pela organização.

 A despedida

Embora já estivesse apresentando sinais de demência que o levaram a ter de reaprender trechos de seus próprios riffs, o guitarrista participou da turnê do álbum “Black Ice”, entre 2008 e 2010. Seu último show com a banda aconteceu em junho de 2010, na cidade espanhola de Bilbao.

Deixe seu comentário no final dessa publicação, marque seus amigos que também curtem AC/DC, acompanhe a nossa agenda de shows e a Nação da Música através do Twitter, Facebook, Instagram e Spotify. Muito obrigado pela visita e por ler essa matéria!