Megadeth
Crédito: Divulgação

Após 17 anos sem incluir a faixa no repertório, o Megadeth voltou a apresentá-la durante um show na República Tcheca, nesta terça-feira (12).

“The Conjuring” não entrava no setlist da banda desde 2001, porque vai contra doutrina cristã que o vocalista, Dave Mustaine, segue atualmente. A música foi lançada originalmente no disco “Peace Sells… But Who’s Buying?”, de 1986, e relata um ritual satânico, tendo sido escrita por Dave quando ele praticava magia negra.

De acordo com publicação do site Blabbermouth, em 2011 durante uma entrevista o guitarrista falou sobre sua relutância em tocar a faixa durante os shows da banda:

“É uma das músicas mais pesadas [no álbum], mas infelizmente, tem magia negra nela e eu prometi que não a tocaria mais, por causa das instruções para feitiços presentes na letra”, declarou.

No processo de gravação de “Dystopia”, de 2016, Chris Adler, baterista do Lamb of God, sugeriu que eles regravassem “The Conjuring” fazendo algumas modificações nas letras, e Mustaine foi contra esta sugestão, assumindo que deveria repensar sua decisão:

“Quando eu iniciei a coisa toda e disse, “quer saber? Não vou mais ser pagão, vou limpar minha vida”, eu coloquei limites em coisas que eu deveria ou não fazer. E enquanto eu amadureci, eu evoluí minha visão e minha jornada pessoal aqui, sendo uma pessoa positiva e uma influência positiva na vida das pessoas. Então, desde que não machuque ninguém, não me importo de tocar a faixa novamente, porque é uma boa música.”

Deixe seu comentário no final da página, marque aquele seu amigo que também curte Megadeth, e acompanhe a Nação da Música nas Redes Sociais: Facebook, Twitter, Spotify e Instagram. Assista as apresentações de “The Conjuring” na República Tcheca e na Polônia: