Especial: The Voice USA (5) – O reality show está de volta! Confira como foi a premiere

The Voice está de volta! O nosso reality show favorito retornou nesta segunda-feira (23) tendo o retorno do time original de treinadores: Adam Levine, Cee Lo Green, Christina Aguilera e Blake Shelton. Uma temporada que reservará muitas surpresas, momentos emocionantes e, acima de tudo, muita música! Nas próximas semanas acompanharemos tudo o que aconteceu durante as blind auditions.

- ANUNCIE AQUI -
@nacaodamusica

Para começar a grande festa do The Voice em sua quinta temporada, tivemos nossos quatro coaches subindo ao palco para mostrar as suas credenciais musicais. Com uma apresentação conjunta do clássico “I Love Rock N’ Roll”, hit eternizado por Joan Jett And The Blackhearts.

- ANUNCIE AQUI -

Inscreva-se no canal da Nação da Música no YouTube, e siga no Instagram e Twitter.

- ANUNCIE AQUI -

A primeira competidora a tentar a sorte no The Voice foi Kat Robichaud. Viciada em rock dos anos 70 e 80, aos 29 anos ela já teve uma banda de covers e caiu na estrada por alguns anos. Apesar da vida cansativa, o rock a fez conhecer seu marido. Kat se apaixonou pela música por influência do pai, que faleceu em fevereiro deste ano. O pai era muito fã do programa o que estimulou Kat a tentar a sorte no reality.

- ANUNCIE AQUI -

Com uma apresentação de “I’ve Got The Music In Me”, do The KiKi Dee Band, ela conseguiui virar as cadeiras de Cee Lo, Christina e Blake Shelton. Após a clássica troca de argumentos de nossos treinadores, Kat acabou optando por trabalhar com Cee Lo, que retornou ao programa com uma vestimenta de Michael Jackson!

Inscreva-se no canal da Nação da Música no YouTube, e siga no Instagram e Twitter.

- ANUNCIE AQUI -

Logo na sequência do programa tivemos a primeira jovem voz desta temporada. Lembrando que na última edição de The Voice tivemos a vitória Danielle Bradbery, a competidora mais jovem daquela edição. Com apenas 17 anos Caroline Pennell que repetir o sucesso da jovem estrela.

Com uma apresentação de tirar o fôlego de “Anything Could Happen”, de Ellie Goulding, tivemos Cee Lo Green e Blake Shelton brigando por esta jovem voz. Caroline terminou por ser mais uma vitória para Cee Lo em seu retorno ao programa.

- PUBLICIDADE -

Inscreva-se no canal da Nação da Música no YouTube, e siga no Instagram e Twitter.

Os fãs de Adam Levine não precisa ficar preocupados, a primeira vitória do líder do Maroon 5 estava por chegar. E desta vez com uma competidora que é exatamente o oposto da candidata anterior. Donna Allen tem 54 anos e já tem certa história no mundo da música. Ela já foi cantora de apoio de Gloria Estefan e, em sua carreira solo na década de 80, emplacou alguns hits em paradas de sucesso nos Estados Unidos e Reino Unido.

- ANUNCIE AQUI -

Com uma apresentação do clássico “You Are So Beautiful”, de Joe Cocker, ela estimulou uma disputa emtre Levine e Christina Aguilera. A disputa, como falamos anteriormente, foi ganha por Adam Levine, que busca seu segundo título no The Voice.

Inscreva-se no canal da Nação da Música no YouTube, e siga no Instagram e Twitter.

- ANUNCIE AQUI -

Na sequência tivemos a primeira voz desta temporada a consegui virar as cadeiras dos quatro treinadores. Matthew Schuler apresentou a música “Cough Syrup”, da banda Young The Giant. O grupo que já foi destaque na coluna NM Apresenta, aqui no Nação da Música.

Matthew tem 20 e é um jogador de rugby na universidade, trabalha para ajudar na renda da família e ainda canta na igreja. E claro, tem talento suficiente para virar quatro cadeiras em menos de 15 segundos, logo no primeiro dia de blind auditions. Por fim, a primeira vitória de Christina Aguilera em sua volta ao The Voice não poderia ser alguém melhor.

- ANUNCIE AQUI -

Inscreva-se no canal da Nação da Música no YouTube, e siga no Instagram e Twitter.

A segunda vitória de Adam Levine na noite veio logo na sequência. Nic Hawk é um astro de musicais. Ele voltou a morar em casa para ajudar a sua mãe e o irmão, que se viram sozinhos após o padrasto de Nic abandoná-los. Para ajudar nas despesas de casa, Nic ainda dá aulas de dança.

- ANUNCIE AQUI -

Com influência de hip hop e artistas como Amy Winehouse, Hawk fez uma performance de “Hit ‘Em Up With Style”, de Blu Cantrell e surpreendeu a todos com a sua voz. Nic preferiu ir para o time de Adam Levine ao invés de trabalhar com Cee Lo Green, que parecia ser a escolha mais óbvia.

Inscreva-se no canal da Nação da Música no YouTube, e siga no Instagram e Twitter.

- ANUNCIE AQUI -

Os fãs de Blake Shelton não precisam ficar preocupados, pois o atual tri campeão do The Voice conseguiu uma voz para seu time nesta primeira rodada de Blind Auditions. E uma ótima voz. Shelbie Z tem apenas 21 anos mas já enfrentou diversas barreiras na vida, como o bullying.

Apresentando “Here For The Party”, de Gretchen Wilson, era óbvio que ela chamaria atenção de Blake. Mas ela também virou a cadeiras de Christina e Cee Lo, o que rendeu outra divertida disputa entre nossos coaches.

- ANUNCIE AQUI -

Inscreva-se no canal da Nação da Música no YouTube, e siga no Instagram e Twitter.

A performance seguinte foi de Josh Logan. Ele que entrou no mundo da música logo cedo, quando a mãe era dona de um karaokê e ele participava. Logo jovem, Josh viu o desafio de ser pai, e precisou deixar de lado a música para dedicar-se a criação do filho.

- PUBLICIDADE -

Josh fez uma performance do hit “Too Close”, de Alex Clare, e com uma voz muito parecida a do intérprete original conseguiu chamar atenção de Adam, Christina e Blake. Com uma tendência forte à música pop, Logan escolheu por trabalhar ao lado de Christina Aguilera.

- ANUNCIE AQUI -

Inscreva-se no canal da Nação da Música no YouTube, e siga no Instagram e Twitter.

Encerrando a noite, como já é tradição nesta fase do programa, tivemos outra performance arrebatadora e que virou quatro cadeiras nesta primeira noite de blind auditions. James Wolpert, com apenas 22 anos, conseguiu surpreender a todos os treinadores. Diferentemente de outros candidatos, a música nunca foi o principal foco na vida de James. Mas ele decidiu largar a faculdade para dedicar-se a esta nova paixão.

Logo em sua apresentação parecia impossível que ele conseguisse chamar tanta atenção dos treinadores. Com uma performance de “Love Interruption”, do Jack White, eu uma boa dose de drama as quatro cadeiras viraram perto do final da canção. A escolha de James foi pelo time de Adam, talvez aquele treinador que mais se encaixe em seu estilo musical.

Inscreva-se no canal da Nação da Música no YouTube, e siga no Instagram e Twitter.

Vicente Pardo: Editor do Nação da Música desde 2012, formou-se em Jornalismo pela Universidade Federal de Pelotas em 2014. A música sempre foi sua paixão e não consegue viver sem ela. É viciado em procurar artistas novos e não consegue se manter ouvindo a mesma coisa por muito tempo. Também é um apaixonado por séries de TV e cultura pop.