Disco do Dia #26: Mötley Crüe – “Shout at the Devil”

Motley Crue

- ANUNCIE AQUI -
@nacaodamusica

- ANUNCIE AQUI -
@nacaodamusica

O segundo álbum do Mötley Crüe, “Shout at the Devil”, foi lançado em 1983 e fez a banda abrir para grandes grupos do rock, assim, começou a ganhar destaque nos Estados Unidos. No meio dos clichês do glam rock, o quinteto era uma das poucas bandas que eram verdadeiras.

- ANUNCIE AQUI -

Com faixas pesadas e polêmicas, “Shout at the Devil” foi alvo de protestos, pois sua capa, que possui um pentagrama, foi usada como argumento de que as músicas do conjunto tinham o objetivo de invocar Satanás. Além de uma versão do clássico dos Beatles, “Helter Skelter”, o disco possui clássicos como “Looks That Kill” e vendeu mais de quatro milhões de cópias na Terra do Tio Sam.

- ANUNCIE AQUI -

Melhor Música: “Shout at the Devil”

- ANUNCIE AQUI -

Ponto Forte: Faixas pesadas e com riffs marcantes. É como se o Kiss, Aerosmith e o Black Sabbath tivessem se juntando. Destaque para “Too Young to Fall in Love”.

Ponto Fraco: “God Bless the Children of the Beast” é uma faixa boa, mas o grupo tinha capacidade suficiente para fazer outra canção boa no lugar da instrumental, que não faria falta alguma.

- ANUNCIE AQUI -

Não deixe de curtir a nossa página no Facebook e acompanhar as novidades da Nação da Música. Ouça “Shout at the Devil”:

- PUBLICIDADE -
Leonardo Silva: Sonhador, estranho, inibido e estranho novamente. Às vezes engraçado, de vez em quando muito sem graça. Bipolar, talvez. Um pouco hipócrita, invejoso. Aliás, todos nós somos, afinal, fazemos parte da raça humana. Apaixonado por música, alma vendida ao rock and roll e coração dominado por bandas como: Aerosmith, Kiss, Led Zeppelin, The Beatles e Guns N' Roses. Virgiano que não acredita em perfeição, mas sim que se pode espantar os males cantando. Cursando jornalismo desde 2013 na Universidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS), este sujeito começou a escrever para o Nação da Música em 2014 e espera relacionar suas duas paixões para sempre.