Resenha: “Convoque seu Buda” (2014) – Criolo

criolo2013 (1)

Criolo lançou em 2008 seu primeiro álbum. “Ainda Há Tempo” foi gravado sem recursos e não ganhou muita popularidade, porém já mostrava o potencial de Criolo não só como rapper, mas como um músico multifacetado. Em 2011, com o lançamento de “Nó na Orelha”, álbum que o estabeleceu como um dos maiores nomes do rap nacional e que produziu neo-clássicos como “Não Existe Amor em SP” e “Subirusdoistiozin”, Criolo movimentou a cena musical nacional e ainda conseguiu projeção mundial.

No final de 2014, o músico lançou o sucessor do aclamado disco. “Convoque seu Buda” traz dez faixas que se comportam como crônicas da sociedade atual, abordando problemas do dia-a-dia das grandes cidades e indicativos sociais. Em relação a riqueza musical, o álbum assim como o antecessor traz não só o rap, como o reggae, a música africana, o forró e outros ritmos. A arte da capa é um trabalho à parte, rico em referências orientais, místicas e artísticas sob a ótica do diretor de arte Denis Cisma e do designer gráfico Lucas Rampazzo.

“Convoque seu Buda” introduz o bairro paulista do Grajaú para quem ainda não conheceu em “Ainda Há Tempo” e “Nó na Orelha”. Estão ali a violência, a esperança e o espírito pseudo-revolucionário, assuntos vinculados às manifestações e desocupações de milhares de moradores de comunidades em São Paulo. Na sequência, Criolo enumera diversos ídolos da música, disserta sobre a pouca importância dada às coisas simples e boas da vida e dialoga com a música africana em “Esquiva da Esgrima”.

“Cartão de Visita” começa com ares de sofisticação e revela no refrão o contraste entre a ostentação/ futilidade e a pobreza com a belíssima participação dos vocais de Tulipa Ruiz. Faixa irônica e de grande potencial. Pobreza essa que também é retratada em “Caixa de Papelão”, junto com o vício do crack e a vida de dificuldades dos moradores de rua em meio a especulação imobiliária dos centros urbanos.

O samba “Fermento pra Pão” chega para trazer um pouco de humor sem deixar de cutucar e perturbar. A culpa de não ter o pãozinho fresquinho seria da política e dos grandes empresários, mas ainda há quem não se preocupe com nada e se contente com qualquer coisa. “Pé de Breque” poderia ser descrita como a parte 2 de “Samba Sambei” (do disco “Nó na Orelha”) pela exaltação da filosofia rastafari.

Um híbrido do baião com a música africana seria “Pegue pra Ela”, uma faixa experimental que exalta a necessidade da manutenção da cultura de forma saudável, Para Criolo, “quando a cultura vira comércio é o ponto de degradação”.

O belíssimo instrumental de “Plano de Voo” traz o viés mais inspirado do músico, o de rapper. A faixa ganha ainda mais força com a participação de Síntese. A seguinte “Duas de Cinco” mantém o alto nível do rap.

“Fio de Prumo” traz outra bela e exponencial voz feminina da música brasileira, Juçara Marçal. A faixa foi construída de forma pouco convencional e bastante experimental, o que já pode nos apontar para os próximos passos de Criolo.

Em pouco mais de quarenta minutos, Kleber Cavalcante Gomes expõe de forma crua sua visão de mundo em forma de poesia. A produção de Daniel Ganjaman e a mixagem de Mario Caldato ajudaram na construção de um dos melhores discos de 2014 pela riqueza de ritmos e pela fluidez pela qual passeia Criolo e seus convidados especiais. O som que são vários estilos musicais e suas essências.

Tracklist:

1. “Convoque seu Buda”
2. “Esquiva da Esgrima”
3. “Cartão de Visita” (Participação Tulipa Ruiz)
4. “Casa de Papelão”
5. “Fermento pra Massa”
6. “Pé de Breque”
7. “Pegue pra Ela”
8. “Plano de Voo” (Participação Síntese)
9. “Duas de Cinco”
10. “Fio de Prumo (Padê Onã)” (Participação Juçara Marçal)

Nota: 9

Não deixe de curtir a nossa página no Facebook, e acompanhar as novidades do mundo da música, do Criolo e da Nação da Música. Ouça o álbum “Convoque seu Buda”:

COMPARTILHAR
Carioca, turismólogo, louco por música, tecnologia, viagens e metido a jornalista aqui na Nação da Música. Também um tanto maníaco por shows e festivais.

DEIXE SEU COMENTÁRIO!