Fleetwood MacO ano era 1977 e o Fleetwood Mac lançava o álbum que seria o divisor de águas de sua carreira. Tendo vendido mais de 30 milhões de cópias ao redor do mundo, o disco refletia todas as grandes coisas que aconteciam naquele momento nos anos 70 e internamente na banda. Após algumas mudanças em sua formação, o grupo conseguiu encontrar um equilíbrio e ter sucesso comercialmente.

Em 2019, a obra completou 42 anos e nós não poderíamos deixar um marco tão importante no mundo da música passar em branco.

Second Hand News” é a responsável pela abertura do álbum e funciona como um tipo de “canção de término de relacionamento”, mas foge do tradicional e aborda o tema de maneira descolada, quase como uma superação, com seu ritmo alegre e dançante. Foi a escolha perfeita para iniciar a produção e colocar o ouvinte no clima.

Stevie Nicks é quem assume os vocais e a composição de “Dreams”, e é quase possível ver sua voz flutuando sobre as palavras cantadas. A batida suave porém marcante da bateria também é merecedora de destaque, fazendo da canção uma boa balada.

Muito se comenta sobre a relação de Nick e Buckingham na época em que o disco foi gravado, e um pouco disso pode ser visto nas letras das músicas, que parecem funcionar como um tipo de resposta uma para a outra. Na acústica “Never Going Back Again”, o músico fala sobre perceber que cometeu o mesmo erro diversas vezes e o que isso pode significar.

Em “Don’t Stop” temos a primeira aparição de Christine McVie, à frente da que pode ser considerada a canção mais característica dos anos 70, pois se assemelha muito com o que estava sendo feito por outras bandas da mesma década.

- PUBLICIDADE -

Uma das mais populares do disco, “Go Your Own Away” é definitivamente uma das melhores presentes no material. O instrumental, o ritmo e a letra são trabalhados de maneira conjunta e crescem conforme a canção passa.

Songbird” surge como uma daquelas canções que te causam arrepios desde a primeira palavra. Cantada por Christine, ela foi composta pela cantora durante seu divórcio (que aconteceu durante o processo de produção do disco) e consegue transmitir um pouco da angústia vivida por ela. O verso “And I wish you all the love in the world / But most of all, I wish it from myself” é um dos mais marcantes.

The Chain” é a música mais forte presente no disco e a que tem maior capacidade de por si só mostrar o trabalho incrível que o Fleetwood Mac era capaz de apresentar. Tudo na faixa se encaixa: a maneira misteriosa como começa, sendo acompanhada por batidas (duvido você não entrar no ritmo e tentar acompanhar a canção enquanto ouve), mostrando seu crescimento no refrão e quase no fim sendo extremamente completa, com vocais perfeitos.

Assim como já dito anteriormente, muitos rumores cercam o disco e “You Make Loving Fun” é uma das canções que mais se especula sobre a inspiração por trás da letra. Com um ar mais descontraído e leve sua a batida é contagiante.

- PUBLICIDADE -

Ainda seguindo a linha mais animada e com forte instrumental, “I Don’t Want To Know” foi composta por Stevie onde, novamente, o tema tratado aparenta ser a superação de um término. Ela é divertida e, no fim, a sensação que permanece é de que passou rápido demais e você poderia ouvir pelo menos outras 3 vezes repetidamente.

Em “Oh Daddy” vemos o ritmo diminuir novamente. Os vocais são impecáveis e o fim possui momentos bem interessantes quando se trata do teclado, mas no geral é provavelmente uma das mais fracas do disco.

E por fim, ouvimos “Gold Dust Woman”, que encerra o álbum de maneira completamente oposta a seu início. O clima é mais pesado, uma balada mais dura que as apresentadas anteriormente e incríveis solos de guitarra.

Com a produção, o Fleetwood Mac mostrou não apenas sua grandeza como conseguiu se manter como uma das bandas mais marcantes da década de 70.

Deixe seu comentário no final dessa publicação, marque seus amigos que também curtem Fleetwood Mac, acompanhe a nossa agenda de shows e a Nação da Música através do Twitter, Facebook, Instagram e Spotify. Muito obrigado pela visita e por ler essa matéria!


- PUBLICIDADE -